ÓBIDOS E A AMAZÔNIA

ÓBIDOS E A AMAZÔNIA

Hugo Ferrari*.

A presença de Óbidos na Amazônia foi vital para manter a soberania da região.

A localização da “cidade presépio” - como Óbidos é carinhosamente chamada - está situada entre a parte mais estreita e profunda do Rio Amazonas - assegurando assim essa estratégica posição, presente da própria natureza.

Não foi à-toa que a cidade foi militarizada, ganhando um Forte, um Quartel, e a militarização da “Serra da Escama” com a instalação de peças de artilharia, hoje, apenas relíquias que marcaram um templo de glória e de verdadeiro amor em defesa da Pátria.

E qual a recompensa significativa que Óbidos tem recebido dos governos estadual e federal por defender essa causa tão justa desde os primórdios? Praticamente nenhuma!

Lembro, em outras épocas, quando a cidade era servida pelos valentes “Catalinas” da Panair do Brasil. Foi o meu primeiro vôo de Óbidos para Belém.

Depois, com a construção do aeroporto local, a Paraense Transportes Aéreos, Cruzeiro do Sul, e, mais recentemente, a META - Linhas Aéreas, também serviram a cidade.

Atualmente, tudo acabou, onde ficamos reduzidos a “teco-teco” que trás diariamente os malotes dos Bancos, ou, para quem puder fretar um para atender suas necessidades, notadamente em casos de urgência.  

A bem da verdade - nossa sorte é estarmos perto de Santarém - senão, a situação estaria bem pior, pois é para lá que a maioria das pessoas oriundas das cidades circunvizinhas se deslocam para viajar via aérea.

O transporte aéreo é sinal vital de integração nacional para um País continental como o Brasil, fato que ainda não é considerado e nem mesmo reconhecido pelas nossas autoridades.

Mas, o eu quero questionar, é por que o governo não subsidia uma empresa aérea para atender Óbidos e as outras cidades da Amazônia na mesma situação?  Seria o mínimo que poderia ser feito.

Qual é então a contrapartida que recebemos por defender a Amazônia? Nenhuma! Estamos, há muito tempo, vivendo a “pão e água”.

Ainda não aprendemos a reclamar e nem mesmo exigir um tratamento mais digno. Aceitamos tudo pacificamente sem esboçar qualquer reação.

Temos muito orgulho do nosso País! Somente não concordamos é com essa brutal discriminação da qual somos permanentemente vítimas.

Nós é que fomos e continuamos a ser os verdadeiros defensores da Amazônia. Sem a nossa presença, pouca coisa existiria. O tratamento que recebemos, é como se fossemos brasileiros enjeitados.

Já a riqueza do nosso subsolo deveria ser direcionada prioritariamente para atender as nossas necessidades mais prementes, porém, o que vemos, é o aumento brutal da miséria, do desemprego, do avanço das doenças, do analfabetismo, da violência, etc, tal a indiferença com que somos tratados.

Finalmente, não aprendemos reagir democraticamente e a nos impor como fazem outros povos. Além de maltratados e ignorados, continuamos a bater palmas. Até quando?

*NOTA DO SITE: Hoje pulicamos no site uma noticias em que o Governo Federal irá patrocinar a reforma e adaptação de 28 aeroportos do Pará, entretanto o de Óbidos ficou de fora. Estamos publicando este artigo do saudoso Hugo Ferrari (in memoriam), que  fala sobre o aeroporto de Óbidos, o qual foi originariamente publicado em 22/03/2011, e que está mais atual do que nunca.

Fotos de João Canto

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS