ÓBIDOS: ontem e hoje, nova página dedicada a fotos históricas e atuais

ÓBIDOS: ontem e hoje, nova página dedicada a fotos históricas e atuais

Estamos criando uma nova página em nosso site www.obidos.net.br/obidos/obidos-ontem-e-hoje, baseada na pesquisa de Maurício dos Santos Arruda que nos foi cedida em 2008, que já havíamos publicado nas versões anteriores do site e que agora vamos publicar com novas fotos e implementando os contextos históricos que ocorreram ontem e hoje em nossa querida Óbidos.

A seguir o texto inicial de Maurício Arruda.

Óbidos ontem e hoje, imagens digitalizadas

Maurício dos Santos Arruda

A ideia de apresentar fotos históricas da cidade de Óbidos (PA) constitui desejo de levar ao conhecimento geral um paraíso pouco conhecido, inclusive pelos paraenses. Quantos sabem, por exemplo, que lá nasceram Inglês de Souza e José Veríssimo, imortais e fundadores da Academia Brasileira de Letras?

Há algum tempo estou realizando pesquisa sobre a trajetória de vida do Juiz Abdias de Arruda. O conteúdo abrange desde seu nascimento, ocorrido em engenho no interior de Pernambuco no ano de 1879, período ainda escravagista, ocasião em que eclodiam os movimentos abolicionistas. O ilustre cursou magistratura na Faculdade de Direito de Recife, pioneira no país, concluindo em 1902. Optou por atuar como profissional no Pará, que atravessava a época áurea da “Belle Époque” (período da borracha), atuando nas Comarcas de Cintra (Maracanã), São Caetano de Odivelas, Curuçá, Óbidos e, por último, Belém.

Presidiu a Comarca Obidense por cerca de 20 anos, a partir de 1920, estando presente como magistrado quando eclodiram as Revoluções de 1924, 1930 – Era Vargas, e a chamada Revolução Constitucionalista de 1932, quando ocorreu a sublevação do Forte de Óbidos, seguido da tomada da cidade sob a liderança do “Coronel” Pompa. À época, a política paraense fervilhava com o “Baratismo” e o peculiar estilo de liderança política do Interventor Joaquim Cardoso de Magalhães Barata.

“Barata”, como ficou conhecido, durante sua trajetória conviveu com a oposição partidária do General Alexandre Zacharias de Assumpção e seus adeptos. Existem registros de embates entre o próprio Juiz e o Interventor, inclusive com revogação de Ato Interventorial que o aposentou (vide jornal paraense “Folha do Norte”, de 24.09.1944).

O legado deixado pelo Juiz Abdias de Arruda teve seu reconhecimento em documento elaborado em 1941, assinado por personalidades obidenses da época e, consolidado posteriormente, com a denominação da Sede do Judiciário na cidade: “Fórum Abdias de Arruda”.

O legado histórico que a antiga Fortaleza dos Pauxis tem em seu curriculum até a Óbidos de hoje, faz da cidade rico local de investigação, razão pela qual tenho visitado-a com certa periodicidade. A cada viagem, um novo olhar, uma nova contemplação. São casarios, ruas e prédios, imortalizados por serem testemunhas da história, bem como seus recantos e orla. É Óbidos, localizada na chamada “Garganta do Amazonas”, trecho mais estreito e profundo do caudaloso rio.

Em Outubro/2007 visitei o Museu Integrado de Óbidos, ocasião em que a Presidente da ACOB, Associação que administra o Museu, Srª Clélia Helena Guerreiro Pantoja, cedeu-me algumas fotos de época pertencentes ao acervo do Museu para que fossem digitalizadas.            

São documentos incontestáveis que registram a cidade de outrora, sua orla e suas construções, atestando o nível de intervenção sofrido ao longo dos últimos anos. Também registram pessoas, como o da chamada “Justiça de Óbidos” na década de 20, com a presença do já mencionado Juiz Abdias de Arruda, bem como de pessoas com atividades típicas da região, como o vendedor de pirarucu, o carregador ou mesmo o caboclo a trafegar em carroça. Os prédios mais importantes, como o Quartel, o Forte, o Mercado Municipal, a antiga residência do Intendente Correa Pinto, o Colégio São José, as Igrejas de Santana e do Bom Jesus, a sede da Prelazia de Óbidos, dentre outros, fazem parte do acervo. Os canhões da Fortaleza do Gurjão, na Serra da Escama, podem ser observados em sua integridade, assim como o Matadouro Municipal, hoje demolido.

As fotos digitalizadas compuseram álbum doado ao Museu Integrado de Óbidos em Janeiro/2008, em versão impressa e CD, com respectiva catalogação. 

O material, pela importância que tem, enriquecido por um bom número de imagens obtidas de diversas fontes, está disponível neste site para consulta a todos que tenham interesse sobre o tema.

As primeiras fotos de ÓBIDOS: ontem e hoje são do:

FÓRUM DE ÓBIDOS ABDIAS ARRUDA

Justiça de Óbidos, ao centro, sentado, o Dr. Abdias de Arruda - Foto Restaurada. Foto: Acervo Museu Integrado de Óbidos

Despacho de autoria do Juiz Abdias de Arruda. Fonte: Acervo Cartório II Ofício de Óbidos

Fórum Juiz Abdias de Arruda (2006). Foto: Maurício Arruda

Novo Fórum de Óbidos

O Fórum Juiz Abdias dos Santos Arruda, da Comarca de Óbidos foi inaugurado  no dia 19 de outubro de 2018, com novas instalações. O novo fórum está instalado em um prédio que conta com área total construída de 662,80 m², mais uma área urbanizada que soma 174,11 m². Atualmente a Comarca de Óbidos tem como Juiz Clemilton de Oliveira. As novas instalações receberam as bênçãos do bispo Dom Bernardo Johannes Bahlmann, da Diocese de Óbidos durante a inauguração.

Fórum de Óbidos Juiz Abdias de Arruda, inaugurado em 2018. Foto: Vander N Andrade (2020)

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS