Disciplina para planejar carreira na mineração

Disciplina para planejar carreira na mineração

CEO da MRN, Guido Germani, destaca a importância de jovens talentos planejarem suas formações profissionais atentos às habilidades procuradas pelo mercado.

Lideranças de grandes indústrias da cadeia do alumínio compartilharam na última terça-feira (03/11) suas experiências de carreira e conselhos para jovens recém-formados de várias partes do Brasil, interessados em ingressar no mercado de trabalho deste segmento produtivo, concluindo a série de webinars do projeto Foco & Futuro - Experiências que Transformam, realizado pela Associação Brasileira de Alumínio (ABAL).

O encontro online, que tem como propósito aproximar universitários e profissionais do mercado do alumínio abordando os desafios e oportunidades do início da carreira, reuniu gestores da Mineração Rio do Norte (MRN), Hydro, Grupo Ibrap Alumínio e Plástico e Nespresso. Com formação nas áreas transversais de planejamento e finanças, o CEO da MRN, Guido Germani, relatou como mudou seu propósito inicial de estudar engenharia para seguir sua vocação na área administrativa, que gerou diversas experiências profissionais em segmentos econômicos como auditoria, internet, televisão, fertilizantes e, atualmente, mineração de bauxita. “Comecei a estudar engenharia porque meu ponto forte eram as ciências exatas. Por também gostar de economia, passei a estudar administração, fiz MBA em finanças, marketing e agronegócios. Em minha trajetória profissional, me dediquei às áreas de finanças e planejamento, que me permitiram ter uma visão mais completa sobre as empresas onde trabalhei”, assinalou.

As experiências de Germani em mineração começaram no ano de 2008 em uma mina de diamante em Angola. Depois, atuou na Vale Fertilizantes e, atualmente, comanda a MRN, maior produtora de bauxita do Brasil. Ao avaliar sua trajetória, comentou que poderia ter incluindo a formação em engenharia para complementar principalmente as atuais vivências na operação de bauxita no distrito de Porto Trombetas, município de Oriximiná, oeste do Pará. “Por trabalhar bastante com a área de projetos e operações, eu gostaria de ter estudado engenharia, aprimorando assim minha qualificação profissional e minha carreira, pois complementaria as minhas atuais experiências”, declarou.

Entre os conselhos compartilhados no webinar Foco & Futuro, Germani destacou a importância dos jovens serem disciplinados com suas trajetórias profissionais, mantendo o aprendizado contínuo, para estarem preparados para as oportunidades disponibilizadas em distintos períodos de suas carreiras. Sobre o incentivo para os jovens recém-formados que buscam desafios profissionais na cadeia do alumínio, o CEO da MRN destacou que a empresa disponibiliza uma experiência ampla em mineração. “É a maior produtora de bauxita do Brasil, onde os profissionais têm um aprendizado completo sobre todas as etapas do processo produtivo, participando de um projeto mineral sustentável. Nosso sonho é deixar um legado de projetos socioeconômicos para as comunidades vizinhas da mineração, gerando empregos e renda local, reflorestando as áreas mineradas com um modelo agroflorestal, que envolve o plantio de mais de 100 espécies como cacau e açaí”, concluiu.

FONTE: Comunicação/MRN

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS