Óbidos fica fora dos investimentos do Governo Federal em Aeroportos

Óbidos fica fora dos investimentos do Governo Federal em Aeroportos

Foi definido nesta terça-feira, dia 04, em Brasília, após reunião entre o presidente da Infraero, Antônio Claret, e o secretário estadual de Transportes, Kléber Menezes, com a presença do senador Flexa Ribeiro, que 28 aeroportos paraenses irão receber investimentos do Governo Federal para a recuperação e requalificação da infraestrutura aeroportuária. Óbidos ficou fora desses investimentos.

Os quatro primeiros municípios beneficiados serão os seguintes: Itaituba, no oeste paraense; Redenção, na região sul; Paragominas, na região sudeste e Breves, na Ilha do Marajó, devem receber recursos da União para ampliação dos terminais de passageiros, melhoramentos nas pistas de pouso e compra de equipamentos.

Além dos quatro aeródromos citados na reunião, outros 24 aeroportos do Pará serão contemplados com melhorias: Almeirim, Altamira, Breves, Cametá, Castanhal, Conceição do Araguaia, Dom Eliseu, Afuá, Itaituba, Jacareacanga, Marabá, Monte Alegre, Novo Progresso, Oriximiná (Porto Trombetas), Ourilândia do Norte, Paragominas, Paraubepas, Redenção, Rurópolis, Santana do Araguaia, Santarém, São Felix do Xingu e Tucuruí.

O critério de seleção, segundo a matéria da Agência Pará, considerou uma série de quesitos, mas o principal deles foi a região de influência. Foram selecionadas cidades naturalmente polarizadoras, ou seja, municípios que detém serviços essenciais como hospitais, bancos, correios e universidades, o que atrai populações das cidades vizinhas.

As obras serão executadas pelo governo federal e, uma vez concluídas, os aeródromos e aeroportos passarão a ser administrados pelo governo do Pará.

www.chupaosso.com.br

============================

Veja a matéria completa:

Encontro define aeródromos paraenses que receberão recursos do governo federal

A presença dos hospitais regionais, com a possibilidade de prestar uma assistência mais ampla à população, foram fatores determinantes para definir quais aeródromos paraenses receberão investimentos imediatos do governo federal para ampliação das atividades. O anúncio dos quatro aeródromos foi feito nesta terça-feira (04), em Brasília, após reunião entre o presidente da Infraero, Antônio Claret, e o secretário estadual de Transportes, Kléber Menezes, com a presença do senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA). Na mesma reunião, foram tratados detalhes sobre as concessões que deverão atender ao Pará para a recuperação e requalificação da infraestrutura aeroportuária do estado.

Itaituba, no oeste paraense; Redenção, na região sul; Paragominas, na região sudeste e Breves, na Ilha do Marajó, devem receber recursos da União para ampliação dos terminais de passageiros, melhoramentos nas pistas de pouso e compra de equipamentos.

“Esses quatro aeródromos, exatamente por neles estarem sendo feitos investimentos nos hospitais regionais, serão polos de absorção de todos aqueles pacientes que precisam de um atendimento de alta complexidade”, disse o secretário de Transportes, Kleber Menezes. Segundo o titular da Setran, a proposta do Governo do Pará “foi muito bem recebida pelo governo federal”. “Nós estamos hoje regularizando as outorgas desses aeródromos para os novos modelos do padrão nacional, disse Menezes. “Vamos ter grandes avanços, todos eles em prol da integração regional, já que o Pará tem uma demanda muito grande de acessibilidade aeroviária não apenas por uma questão de conforto mas, diria, até de uma necessidade do exercício pleno da nossa cidadania”, concluiu o secretário.

Novos investimentos

Além dos quatro aeródromos citados na reunião, outros 24 serão contemplados com melhorias, dentro de um programa de recuperação de 270 pontos de embarque em todo o Brasil, como parte do Plano de Incentivo à Aviação Regional, desenvolvido pelo governo federal em parceria com os governos estaduais.

No Pará, os municípios beneficiados são Almeirim, Altamira, Breves, Cametá, Castanhal, Conceição do Araguaia, Dom Eliseu, Afuá, Itaituba, Jacareacanga, Marabá, Monte Alegre, Novo Progresso, Oriximiná (Porto Trombetas), Ourilândia do Norte, Paragominas, Paraubepas, Redenção, Rurópolis, Santana do Araguaia, Santarém, São Felix do Xingu e Tucuruí.

O critério de seleção considerou uma série de quesitos, mas o principal deles foi a região de influência. Foram selecionadas cidades naturalmente polarizadoras, ou seja,  municípios que detém serviços essenciais como hospitais, bancos, correios e universidades, o que atrai populações das cidades vizinhas.

As obras serão executadas pelo governo federal e, uma vez concluídas, os aeródromos e aeroportos passarão a ser administrados pelo governo do Pará.

 

Fonte: Agência Pará

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS