Pará é destaque nacional da pecuária e na aquicultura, diz IBGE

Pará é destaque nacional da pecuária e na aquicultura, diz IBGE

O estado aparece como o primeiro do Norte na produção de mel e como detentor dos maiores rebanhos de médio e grande porte da região Norte

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga os resultados da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) 2019, a principal fonte de estatísticas sobre os efetivos de animais e os produtos da pecuária e aquicultura do país. Na região Norte, o Pará se destacou como primeiro na produção de mel e segundo em leite, ovos e pescado, bem como na quantidade de cabeças de bovinos e bubalinos. O município marajoara de Chaves é o maior do Brasil em quantidade de búfalos.

Em 2019, a região Norte foi a última do ranking em valor de produção da pecuária: R$ 3,07 bilhões, representando 5,2% do total do Brasil. Ainda assim, verificaram-se destaques importantes, como a produção de bovinos, em que o Norte aparece em segundo lugar, com 49,6 milhões de cabeças (23,1% da produção nacional). Dentro da Aquicultura, a região Norte se destacou na produção de tambaqui, com 73,2 mil toneladas ao ano, o que representou 72,4% da produção nacional.

O Pará, estado que detém o maior rebanho de animais de grande e médio porte do Norte do país, fechou 2019 com mais de 20,8 milhões de bovinos, 546 mil bubalinos e 445 mil equinos. Nos rebanhos de médio porte, o Pará encerrou 2019 com mais de 718 mil suínos, 81 mil caprinos e 257 mil ovinos. Quanto aos rebanhos de pequeno porte, eram 30,3 milhões de galináceos, sendo 4,6 milhões desse total só de galinhas.

O rebanho de bovinos do Pará foi o 4º do Brasil, com seis de seus municípios entre os 20 do país com maior quantidade de cabeças. São Félix do Xingú apresentou o maior rebanho nacional, com 2,2 milhões de animais, o que representa 1% do rebanho efetivo do Brasil. Em seguida, aparecem Marabá (1,1 milhões de animais); Novo Repartimento (mais de 884 mil); Altamira (mais de 759 mil); Cumaru do Norte (750 mil); e Água Azul do Norte (mais de 660 mil).

Já na lista dos estados com maior rebanho de bubalinos, o Pará aparece em primeiro, com 546,7 mil cabeças: 38,1% de todo o rebanho do país. O município marajoara de Chaves é o maior do Brasil em quantidade de búfalos: um total de 175.439 cabeças. Também figuram na lista dos 20 principais municípios brasileiros do rebanho bubalino: Soure (84,2 mil); Cachoeira do Arari (44,5 mil); Almeirim (34,4 mil); Porto de Moz (32,5 mil); Prainha (28,9 mil); Ponta de Pedras (27,8 mil); Santa Cruz do Arari (19,1 mil); Muaná (15,9 mil); e Santarém (10,7 mil cabeças).

Na produção de mel o Pará é o primeiro do Norte, respondendo por mais da metade da produção na região. Em 2019, foram produzidas 670 toneladas de mel, resultando em R$ 9,3 milhões em valor de produção.

Na piscicultura, o Pará foi o segundo da região na produção de peixe, com 14 mil toneladas que geraram R$ 117,8 milhões em valor de produção. O Pará é o segundo do Brasil na produção de pirapitingas, com 506 toneladas (28,8% da produção nacional), com destaque para os municípios de Paragominas (375 toneladas) e Novo Progresso (35 toneladas) que ficaram entre os 20 primeiros municípios brasileiros na produção dessas espécies.

No ranking nacional da produção de jatuaranas, piabanhas e piracanjubas o Pará aparece em terceiro lugar (96 toneladas), com destaque para o município de Marabá que produziu 63 toneladas dessas espécies em 2019. Na produção de matrinxãs o Pará também se destacou como o quarto do Brasil, com uma produção de 268 toneladas. O município de Tucuruí aparece como quinto do país na produção dessa última espécie, com 175 toneladas em 2019. O Pará também é o sexto estado brasileiro com maior produção de piaus, piaparas, piauçus e piavas (269 toneladas), com destaque para o município de Altamira (40 toneladas).

Ainda dentro da piscicultura, o Pará é o único do Norte a produzir camarão (55 toneladas e R$ 1,3 milhões de valor produzido) e ostras, vieiras e mexilhões (87 toneladas, com R$ 813 mil).

A produção de leite no Pará ainda é considerada de baixa produtividade em comparação aos demais estados da região Norte: o Pará ficou em quinto lugar, com 773 litros de leite por vaca ao ano, atrás de Rondônia (1.356 litros de leite por vaca ao ano), Amapá (897 litros), Tocantins (808 litros) e Roraima (774 litros). Ainda assim, o Pará foi o segundo do Norte em 2019, com suas 783.207 vacas em atividade produzindo 605,1 milhões de litros de leite (R$ 651,8 milhões em valor de produção).

Na produção de ovos de galinha o Pará também foi o segundo da região Norte, com 43,3 milhões de dúzias produzidas em 2019, gerando R$ 196,7 milhões em valor de produção.

A Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) oferece dados em níveis de região, estados e municípios sobre produção de bovinos, suínos, caprinos, ovinos, galináceos, além de produtos desses rebanhos como leite, ovos, além do mel. Dentro da aquicultura, também se produzem dados sobre a produção de peixe, camarão, ostras, entre outros.

Os dados completos estão disponíveis em www.ibge.gov.br.

FONTE: IBGE

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS