ÓBIDOS, a cidade que fascina

ÓBIDOS, a cidade que fascina

Óbidos é uma das cidades paraenses tidas como "irmã" de Portugal. É que no continente europeu existe também um lugar conhecido como Vila de Óbidos, a 95 km de Lisboa. Além da herança do nome, a Óbidos do Pará herdou muita coisa do colonizador português. As ruas estreitas e ladeirosas, as mercearias de esquina e os amplos sobrados e casarios que datam do século XVII, XVIII, XIX e XX são alguns dos retratos de Portugal em plena Amazônia. A cidade, localizada na parte mais estreita e profunda do Rio Amazonas, é uma pedida para quem gosta de história, aventura e natureza. Um lugar fascinante que você vai conhecer a partir de agora.

Um passeio de volta ao passado

Passear pelas ruas de Óbidos é voltar no tempo. Cada um de seus monumentos conta um pouco da história da cidade, fundada por volta de 1697. O Forte Pauxis, símbolo da fundação do município, é um desses prédios históricos. Exatamente onde existia uma tribo de índios, a dos Pauxis, foi erguido o forte, que pode ser avistado por aqueles que chegam de barco em Óbidos. O ponto era estratégico para a consolidação do domínio português na Amazônia por ser ali a parte mais estreita do Rio Amazonas (1,8 km) e mais profunda também (cerca de 75 m). A partir da construção do forte, qualquer embarcação que por lá passasse era intimada a parar para a cobrança do dízimo devido à Coroa Real Portuguesa.

Do Forte Pauxis é possível ainda avistar a Serra da Escama, onde foi erguida a Fortaleza Gurjão, construída para guarnecer e defender a região dos invasores. Além do fator histórico, a serra, com sua floresta ainda intocada, é uma excelente opção para os amantes de aventura.

Outro importante símbolo de valor histórico para o município é o Quartel do Exército onde serviu o então tenente Leônidas Cardoso, pai do presidente FHC, após o movimento do Tenentismo.  Sua construção, que data de 1909, foi tombada em 1998 pelo Governo do Estado como Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural.A Igreja de Nossa Senhora de Sant´Ana é outro marco da colonização religiosa portuguesa em Óbidos. Por influência dos religiosos dos Capuchos da Piedade, irmandade vinda da cidade do Porto para catequizar os índios Pauxis, a santa foi escolhida como protetora da região e para ela foi erguida uma igreja em fevereiro de 1827. Também para homenageá-la é realizado, todos os anos, no segundo domingo do mês de julho, o Círio de Sant´Ana (Foto 6). O evento reúne centenas de romeiros da cidade e de municípios vizinhos.

A Capela do Bom Jesus, erguida na parte mais alta da cidade, nasceu de uma promessa dos obidenses e foi testemunha de um dos episódios históricos mais importantes da Amazônia: a Cabanagem, movimento que aconteceu entre os anos de 1831 e 1840, deixando milhares de mortos. Os cabanos chegaram em Óbidos depois de terem tomado Santarém, Monte Alegre e Alenquer, cidades vizinhas ao município. Em Óbidos, eles tiveram permissão de desembarcar depois de se anunciarem como "amigos", porém, na calada da noite, tomaram o Forte e apossaram-se de armas. Houve saques e assassinatos. Sob o comando do Padre Raimundo Sanches de Brito e de seu irmão, também religioso, Antônio Manuel Sanches de Brito, os rebeldes foram expulsos. Como promessa, os obidenses decidiram erguer a capela para que a cidade fosse poupada de novos ataques cabanos.

Os belos casarios bem ao estilo português também estão no roteiro histórico de Óbidos. Há dezenas deles por toda a cidade (Foto 8). Alguns, localizados nas esquinas, servem de comércio, outros são mantidos como residências. Por causa de suas edificações de origem lusitana, Óbidos é considerada a cidade mais portuguesa na linha do Equador.

Passado guardado ao ar livre

A história de Óbidos está nas ruas, em painéis espalhados por prédios históricos. É o Museu Contextual, uma idéia da Secretaria Executiva de Cultura do Estado, desenvolvida em parceria com a Universidade Federal do Pará. Na fachada dos principais monumentos da cidade há um painel com informações que narram a importância de cada um deles. São relatos sobre a construção, os proprietários e seus moradores, além de outros fatos relevantes. Há, ainda, fotos do passado. É a história preservada ao ar livre.

A cidade que fascina

Para chegar em Óbidos, só de avião ou de barco. O município, localizado no oeste do Pará, a 1.100 km de distância de Belém por via fluvial, é típico do interior, onde a praça com sua igreja matriz ainda é o ponto de encontro de todos. Em Óbidos, a vida corre mansa. Logo cedo, no porto da cidade, pode-se ver o vai e vem dos moradores, que vivem basicamente da pesca, bastante generosa na região. Também no trapiche sabe-se das pessoas que chegam e que saem nas muitas embarcações que sobem ou descem o majestoso Rio Amazonas. Para quem está de passagem pela cidade, uma dica: não esquecer da máquina fotográfica quando for ao porto. Por lá é comum ver os botos de passeio pelas águas, rodeando as embarcações, uma cena inesquecível e de grande beleza.

O povo de Óbidos também é um capítulo a parte. Os que lá nascem são chamados de "fivelas" por causa do desenho que o Rio Amazonas forma em frente à cidade. Alegres e acolhedores, eles costumam sentar à porta de suas casas para passar o tempo em conversas de fim de tarde. Nos rostos, os "fivelas" carregam os traços portugueses e algumas vezes indígenas, uma miscigenação que rendeu aos obidenses uma cultura vasta e alguns filhos ilustres e de destaque no cenário nacional. Na literatura, só para citar alguns, temos o jornalista, educador, escritor e crítico literário José Veríssimo de Matos e o romancista, jurista e tratadista Herculano Marcos Inglês de Souza.

Essa diversidade artística e natural obidense pode ser vista ao longo do ano em diversos eventos, como o tradicional Festival do Jaraqui (uma das muitas espécies de peixes da Amazônia, muito comum em Óbidos), que acontece no mês de maio. Em julho, há o Círio de Sant'Ana, uma festividade de origens portuguesas e que tem início no segundo domingo e só termina no final do mês, com novenas e arraial. Em outubro, acontece o Festival Folclórico, com apresentações de danças como o lundu, o xote, o carimbó, bois-bumbá e os cordões de pássaro. Mas a grande atração festiva de Óbidos acontece durante o período carnavalesco, o Carnapauxis, considerado um dos mais animados do Pará.

LOCALIZAÇÃO 
O município pertence à Mesorregião do Baixo Amazonas e à Microrregião de Óbidos. Está localizado no oeste do Pará, na região da Calha Norte, à margem esquerda do Rio Amazonas. Limita-se com Suriname e com os municípios de Almerim, Alenquer, Santarém, Juruti e Oriximiná.

Fonte: CELA - Casa de Estudos Luso-Amazônicos

www.chupaosso.com.br

Fotos de João Canto

FOTOS ILUSTRATIVAS A MATÉRIA...

 

Publicado inicialmente em  01/10/2011

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS