Arquitetura obidense

Arquitetura obidense

 livro da Profa. Jussa Derenji, ÓBIDOS, Caderno de Arquitetura I, inicia uma série denominada "Arquitetura na Amazônia" e o número um, fala sobre Óbidos. A publicação neste site foi devidamente autorizada pela autora.

APRESENTAÇÃO

Este trabalho inicia a série denominada “Arquitetura da Amazônia”, coordenada pela Professora Jussara Derenji, docente do Departamento de Arquitetura da Universidade Federal do Pará. A série tem uma função importante do ponto de vista histórico, no sentido da preservação de uma arquitetura que predominou em algumas cidades do interior do Estado, aquando do início do processo de colonização.É, portanto, um trabalho inovador, na medida em que se pretende um estudo sistemático da construção realizada em diversas cidades do Estado do Pará.

Zélia Amador de Deus

PREFÁCIO

Este trabalho iniciou uma série de pesquisa ainda em andamento na Universidade Federal do Pará visando estudar a evolução urbana e arquitetônica na Amazônia desde o período colonial. As suas diretrizes eram pautadas no projeto OITO VERTENTES E DOIS MOMENTOS DE SÍNTESE DA ARQUITETURA BRASILEIRA, conduzido pelo arquiteto Edgar Graeff que procurava abrir novos caminhos, novas leituras para a história da arquitetura a partir de estudos feitos nas universidades brasileiras.

Ainda que o projeto tenha tido uma trajetória curta, parte por dificuldades operacionais, parte pelo desaparecimento de seu idealizador em 1990, acreditamos que a idéia deve permanecer para que possamos, como sonhava Graeff, encontrar a nossa própria historia.

Jussara Derenji

INTRODUÇÃO

Em 1986 houve uma ampla mobilização da comunidade de Óbidos, interior do Pará, para a preservação de um forte (1854) e de um quartel em (1909), ambos em precárias condições de conservação à época. Foi solicitado auxílio técnico a várias instituições estaduais e federais, entre elas a Universidade Federal do Pará. O Departamento de Arquitetura mais especificamente a pesquisa Arquitetura Paraense, foi encarregado de elaborar projetos de restaurações dos prédios citados com recursos da Fundação Nacional Pró Memória e da própria Universidade. O trabalho foi desenvolvido através dos Departamentos de Historia, Estrutura, Desenho e Arquitetura, com a coordenação do último. A equipe da UFPA ampliou a solicitação inicial transformando-a em um inventário dos bens arquitetônicos da Cidade acrescentando aos projetos de restauração um completo estudo arqueológico da área do forte. Para a arqueologia, inexistente na UFPA foi contactada pela UFPE que, através da equipe do Arqueólogo Marcos Albuquerque, que executou a prospecção da área.

Os trabalhos a serem desenvolvidos ficaram então divididos em:

  • Síntese da evolução do sitio urbano e dos seus monumentos
  • Inventário dos bens arquitetônicos
  • Arqueologia dos monumentos
  • Proposta e recomendações

Pretendemos aqui divulgar os resultados dos dois primeiros pontos da pesquisa: a evolução do sitio e sua arquitetura.