Jovens de Comunidades Quilombolas de Oriximiná participam de oficina YouTube

Jovens de Comunidades Quilombolas de Oriximiná participam de oficina YouTube

As capacitações foram realizadas pelo Programa Novas Tecnologias e Povos Tradicionais e contou com a parceria do Programa Territórios Sustentáveis

Promover o empoderamento dos jovens das comunidades Quilombolas a partir do conhecimento do uso da plataforma Youtube, este foi o objetivo da oficina realizada pelo Programa Novas Tecnologias e Povos Tradicionais, da Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam) em conjunto com a Google Earth Outreach e a Agência de Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (Usaid) e com apoio do Programa Territórios Sustentáveis. Aproximadamente 30 jovens dos oito territórios quilombolas do município de Oriximiná participaram durante dois dias da oficina que deu ênfase a criação de um canal, técnicas básicas de filmagem, edição, publicação dos vídeos e potencialidade da ferramenta.

Muryel Arantes, coordenadora do Programa Novas Tecnologias YouTube Calha Norte, explicou um pouco sobre o programa que já atua em várias regiões e que agora ganha uma nova ferramenta.  “O Programa Novas Tecnologias tem objetivo de levar para nossas comunidades parceiras instrumentos para que elas possam desenvolver os seus projetos de gestão, pra que elas possam contar as suas histórias e no caso destas tecnologias nós estarmos trabalhando com o Google Terra, ODK e o Youtube que são ferramentas de empoderamento para que o mundo possa ouvir a história quilombola”.

A diretora dos Programas Ambientais as Usaid, Anna Tones, ressaltou o papel do jovem como protagonista e sobre a necessidade das parcerias para a realização de ações que possibilitem o empoderamento das comunidades. “Falamos em varias coisas, mais um componente que seria de maior importância é a liderança dos jovens porque os jovens realmente são o futuro das comunidades e se eles não tiverem as ferramentas necessárias para lhe dar com os diferentes problemas e desafios não vão poder solucionar. A Usaid está trabalhando em vários estados, ajudando as comunidades em suas capacidades para ter uma gestão própria sobre os seus recursos, sobre suas vidas, bem estar para poder solucionar sem atores de fora mas, formando parcerias para ajudar e os jovens tem um papel muito importante neste processo”. 

A atividade foi realizada junto aos jovens das oito associações quilombolas ligadas a Associação das Comunidades de Remanescentes de Quilombos do Município de Oriximiná (Arqmo) e atende uma demanda oriunda dos próprios jovens. “A oficina do Youtube vem para complementar um pouco do que o jovem já sabe e nós queremos por meio delas apresentar o que temos ao mundo, não só a nossa cultura, aquilo que é bom, aquilo que é negativo para que os nossos governantes e o mundo fiquem sabendo o que acontece no quilombo. Eu acredito que esta oficina vem trazer muitas oportunidades para a juventude que vem buscar novos caminhos para trilhar”, enfatizou Rudnei Figueiredo, coordenador do grupo de jovens da Arqmo.

O diálogo para que as oficinas fossem realizadas junto aos jovens quilombolas iniciou em setembro de 2017, quando foi realizada a primeira oficina sobre inclusão digital e criação de conteúdos. “Desde que a gente iniciou os jovens já tinham a demanda deles, mas ficavam presos e não sabiam como soltar o que eles queriam, de setembro pra cá eles propuseram algumas ações e a Arqmo está aí apoiando a coordenação da juventude com o desenvolvimento deles dentro das comunidades, com as melhorias que eles querem”, frisou Rogério Pereira, membro do Conselho Diretor da Arqmo após citar que os jovens já utilizam as ferramentas Google Terra e ODK.

A Google é uma importante parceira na realização de diversas atividades realizadas pelo Programa Novas Tecnologias e Povos Tradicionais e nesta oficina os jovens tiveram contato com a plataforma YouTube. “Foi uma das experiências profissionais mais gratificantes e engrandecedora que já tive na minha história profissional. Foi muito importante estar lá e ver o trabalho que a Ecam faz, ver o projeto bonito do Territórios sendo colocado em pratica e mais lindo ainda ver a energia e a motivação dos jovens quilombolas em aprender e mudar a realidade deles e a percepção que as pessoas tem deles no mundo através da comunicação, da mídia, do YouTube. Eu estou até agora emocionada e feliz em ter participado do projeto e a gente vê os próximos capítulos em breve”, declarou a gerente de parcerias YouTube Brasil, Ligia Lima.

A oficina foi ministrada pelo Youtuber, Állan Carlos Portes, do canal Pixel Tutoriais, que em dois dias compartilhou conhecimento e experiência além das técnicas para domínio desta ferramenta. “A internet tem possibilitado a gente ganhar cada vez mais voz e as pessoas que tem ganhado essa voz na sua maioria costumavam não ser ouvidas, por diversos motivos, e o Youtube te dá condições de criar algo, de você mostrar para as pessoas seu ponto de vista a sua realidade, e isso é importante por ser uma ferramenta que empodera, e isso é único e só quem ta vivendo isso pode saber como é legal”, ressaltou o Youtuber. 

Entre os 30 jovens participantes está Caroline Colé, moradora da comunidade de Boa Vista do Trombetas. Para ela o conhecimento da nova ferramenta vai aliar a pratica das atividade já desenvolvidas, além de poder contar um pouco sobre o seu território, o primeiro a ser reconhecido nacionalmente como Quilombola. “Estou achando muito interessante a gente aprender e poder divulgar nossos trabalhos, como o Mapeamento ODK do qual eu faço parte e poder fazer o planejamento do futuro e outros tipos de trabalhos da comunidade como a cerâmica, as danças, as tradições, o círio do padroeiro”.

A oficina foi realizada na comunidade de Jarauacá, localizada às margens do Rio Acapu, e que possui aproximadamente 60 famílias e que tem como base econômica o extrativismo, agricultura e pesca de subsistência. Caio Barros Matos, coordenador do Eixo Quilombola do Programa Territórios Sustentáveis “A internet nos possibilita criar mecanismos de veicular sua imagem, sua cultura, seu território. E depois de criar divulgar, mas não pura e simplesmente para divulgar algo sem sentido, sem contexto, mas algo que possa contribuir para o desenvolvimento da sociedade, seja local ou globalmente. O Programa Novas Tecnologias incentiva a autonomia dos jovens para criarem o seu conteúdo e não algo programático com um roteiro formado, cristalizado, com indicações que vem de fora. O objetivo é que os jovens criem o conteúdo de forma autônoma de uma maneira livre, através da sua vivencia e experiências próprias”.

FONTE: Ascom/Territórios Sustentáveis

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS